Zona de Conforto: aconchegante e ilusória

Medo de sair da zona de conforto? Medo de se reinventar? Medo de novos desafios? Porém, tem muita vontade de mudar tudo na tu vida, porque o que tens já não te serve mais?

Hoje nossa convidada, Patricia Bath,  vai nos ajudar nesse processo, trazendo uma bela reflexão e o passa a passo para a mudança.

A primeira e mais agradável zona de conforto é, com certeza, a do ventre materno. No dia e hora determinados somos, inesperadamente, retirados dele. Neste momento iniciamos nossa caminhada e com ela, muitas vezes, somos tentados a fazer o que é fácil, cômodo e conhecido.

Este estado chamado “zona de conforto” é a tendência de evitar os medos, a insegurança, o desgaste e a ansiedade, por não mais controlar os acontecimentos. Muitas são as causas que nos fazem querer permanecer na zona de conforto, as mais frequentes são:

– Presunção: Opinião excessivamente boa acerca de si mesmo, ou seja, quando não se sente necessidade de aprender algo novo;
– Preguiça: Falta de energia, desinteresse, apatia em qualquer nova ação;
– Cegueira: Quando não se têm claro os objetivos, a curto, médio e longo prazo;
– Falta de Planejamento: Não querer se preparar para um trabalho, uma tarefa, um novo projeto com métodos bem estabelecidos, convenientes e convincentes;
– Medo de perder o que anteriormente fora conquistado.

Se muitas são as causas que paralisam os indivíduos na zona de conforto, mais ainda são as consequências por permanecer neste estágio, erroneamente classificado como confortável e seguro:

– Impactos negativos na empregabilidade e na imagem profissional e pessoal;
– Pouco investimento no autodesenvolvimento;
– Auto sabotagem: uma das piores consequências de se estar na zona de conforto, pois independente do potencial e talento, não há esforço algum para otimiza-lo nem aproveita-lo para melhorar sua performance;
– Permitir que as circunstâncias ditem os próximos passos, de carreira, do crescimento pessoal ou até de uma decisão familiar: Cenário que pode se tornar bastante desfavorável se não estiver devidamente preparado para o inesperado, como uma demissão, a insatisfação de um cliente ou uma instabilidade econômica.

A vida impõe situações da quais não podemos fugir. O que irá diferenciar um profissional do outro é o quanto ele está preparado para enfrentar os desafios. Já se sabe as causas que nos enraízam na zona de conforto e, principalmente, as consequências em permanecer, portanto é importante tomar medidas para libertar-se dela. Saiba como:

– Busque o melhor e espere pelo sucesso, mas esteja preparado para todos os cenários. Quem se prepara para o pior não se surpreende com o êxito.
– Se desafie e se permita vencer os desafios do dia a dia, comece pelos medos menores e pelos riscos mais fáceis de serem calculados;
– Não espere nada diferente se nada mudou em sua maneira de pensar, agir e fazer;
– Estabeleça novas metas e concretize formas de alcança-las, para isso pode contar com ajuda de gestores, familiares, profissionais de carreira, coaching e desenvolvimento como os profissionais da FIND.

Ficar ou sair da zona de conforto?

Já tem sua resposta?

Ligue (41) 3402-3900 e saiba como podemos te ajudar a traçar um plano de ação efetivo rumo a um novo caminho profissional.

PATRÍCIA BARTH tem Certificação Master Coach pelo maior centro de referência e excelência em Coaching no Brasil e Vasta experiência em formação e desenvolvimento de equipes e executivos de alta performance, na FIND, além da posição de Diretora, tem a liderança liderança dos projetos de Coaching, Mentoring, Assessment, Executive Search e Consultoria Empresarial.

Vem...leia também

1 comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *