Temos fome do quê?

Além de tudo que pode alimentar a alma, temos fome mesmo de comida. Precisamos de comida.

Recentemente tivemos um episódio muito triste, envolvendo um dos principais alimentos que compõe a nossa alimentação.

Sempre estamos repensando nossa forma de comer, não é mesmo? Seja ela pelo movimento slow food, pela socialização, pela gourmetização da comida, dietas especiais, seja pela necessidade, seja lá qual seja a razão o ato de alimentar se é um ato social que envolve nutrição e prazer.

Juro pra vocês que queria ter propriedade técnica para falar mais sobre comida, pois além de adorar comer, amo fazer comida e trabalho com alimentos.

É aqui que entra a parceria com pessoas que estão na mesma “vibe” nossa, que tem a importante profissão de nutricionista. Convidei Juliana Ceronato (CRN 8 2292) nutricionista,  para nos ajudar a entender um pouco melhor o que é comer bem, comer saudável e entender um pouco mais do que há por de trás dos alimentos que comemos nos dias de hoje!

Juliana começa nos perguntando: o que você come?

“Será que realmente sabemos o que estamos comendo? Todos os dias as pessoas vão ao mercado e compram comida, comida que vem em caixa, pote, pacote, que sai do freezer direto para o micro-ondas e fica pronta em poucos minutos. Compram caixas de sucos, pós para fazer sucos, cubos para temperar e tudo mais para facilitar o ato de comer.

Os avanços na indústria de alimentos são tantos e estamos tão acostumados com as novidades que nos trazem praticidade e muitas vezes deixamos de lado a composição do alimento que comemos. Mas vamos pensar um pouco. Se você fizer um suco de laranja, com laranjas e deixar em uma garrafa no seu armário de casa quantos meses vai durar este suco?

Por que o suco da caixa dura meses?

Quer um exemplo? Por curiosidade leia uma lista de ingredientes de um produto industrializado. Será que todos os ingredientes da lista você reconhece como alimento mesmo? Veja quantos ingredientes colocados em um só produto, precisa de tantos ingredientes para fazer o alimento?

Para facilitar o preparo, ganhar prazo de validade, aumentar o sabor, melhorar a textura, a indústria utiliza diversos aditivos alimentares, todos permitidos por lei.

Mas nem sempre estes aditivos são bons para nossa saúde. Este aditivos estão presentes nos alimentos processado e ultraprocessados encontrados no mercado.

Para tentar reduzir o consumo deste tipo de alimentos Ministério da Saúde lançou em 2015 a segunda edição de Guia Alimentar para a População Brasileira (quer saber mais: http://portalarquivos.saude.gov.br) este guia serve para orientar o consumo correto de alimentos. A tendência atual buscar uma alimentação com alimentos in natura ou minimamente processados.

Com tantos acontecimentos estamos chegando a conclusão de que a melhor alimentação para quem busca saúde e reeducação alimentar e a comida de verdade, aquela preparada em casa com alimentos in natura, temperos naturais. Aí você deve estar se perguntando mas como terei tempo para preparar alimentos em casa, como vou comer fora de casa? Tudo isso é possível com planejamento e organização, será sim necessário se dedicar um tempo a mais para esta tarefa de preparo dos alimentos, mas a partir do momento em que você começar a sentir os benefícios de uma alimentação mais saudável, caseira e natural perceberá que valeu a pena seu esforço.”

E você, tem fome do quê?

Já parou para pensar com o que você se alimentou hoje?

#comerbem #supersaudável #alimentodeverdade

 

 

 

 

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *