Convidada: Viviane Aroldi – A Copa do Mundo não é sobre ganhar ou perder

 Hoje o Vem que a Gente Explica recebe uma convidada : Viviane Aroldi

Viviane Aroldi

Profissional de comunicação e marketing, empreendedora e professora universitária. São mais de 20 anos de experiências, trocas e aprendizados que compartilha hoje na CONTATO JOY – Maturidade Plena. Formação: Graduada em Administração pela UFPR, Pós-Graduada em Marketing pela FAE, MBA em Marketing pela FGV, e Pós-Graduada em Empreendedorismo e Negócios Sociais pela FAE Business School. Em formação pelo Programa Germinar para se tornar uma liderança facilitadora.

 

A Copa do Mundo não é sobre ganhar ou perder

Tenho 2 filhos adolescentes e hoje foi dia de curtir com eles um jogo do Brasil na Copa do Mundo da Rússia. Fazia tempo que eles não jogavam futebol e com a empolgação da vitória me pediram para ir ao parque bater bola. Lá encontramos um campinho cheio de crianças. Eles rapidamente se enturmaram e se divertiram muito. Todas as classes sociais estavam representadas, várias idades e um único objetivo: fazer a bola rolar e se divertir. A pintura falhada do chão e a trave sem rede não impediram as risadas e a alegria dos times recém formados. Foi bonito de ver!

 

Esta cena me fez pensar sobre o real significado de uma Copa do Mundo. Mais do que ganhar ou perder estamos falando da união entre os povos, da democratização do esporte, dos momentos de emoção a flor da pele. É hora de termos orgulho do país onde nascemos ou vivemos. Por um mês os noticiários ficam mais festivos e as ruas mais vibrantes. É quando colocamos a bandeira do Brasil nas janelas e nos lembramos dela com admiração. Momento em que procuramos no armário aquela camisa amarela e encontramos acessórios e buzinas para comemorar os gols. É hora de virar técnico, de curtir nossos ídolos, de lembrar da nossa história, de trocar figurinhas para o álbum, de rezar para todos os santos na hora dos jogos.

 

A Copa é sobre ver nossos filhos gritando gol na janela do apartamento. É sobre sentir cheiro de pipoca e ouvir os fogos de artifício. É ter os amigos e familiares reunidos na sala em plena quarta-feira à tarde, ou ver os colegas de trabalho improvisando uma televisão na empresa para não perder o momento. É sobre ver as multidões nas praças e avenidas – em todos os cantos do país – com os olhos vidrados nos telões públicos. É tempo de ver as vilas decoradas com bandeirinhas verde e amarelas e com o chão todo pintado, e ouvir música na frente dos bares e restaurantes.

 

É quando nos emocionamos ao cantar o hino nacional, e nos divertimos com a criatividade das pessoas nas arquibancadas. Isso sem falar nas centenas de “memes” engraçados nas Redes Sociais, nem sei como surgem tão rápido.

 Pena de quem perde esta grande festa, que só acontece a cada quatro anos. Quem não percebe a preciosidade desta época deixa de ter uma experiência memorável.

 

Ver a alegria das crianças jogando bola no parque me fez ter esperança em Brasil melhor.

 Vai Brasil!!!

 Viviane Aroldi

 

 

 

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *