A ERA DOS POLOS… OPOSTOS!

Estamos vivendo tempos em que tudo ou praticamente tudo ficou polarizado! A ERA DOS POLOS… OPOSTOS!

O significa isso? Significa que temos que ter opinião rigidamente definida, nada de mudanças de ideias ou comportamentos.

Por definição, encontramos a seguinte descrição:

Estamos mais ou menos assim:

  • Ou  gosta da cor branca ou da cor preta e ponto. Se inventar de gostar das duas já será tachad@ de ”pessoa que está encima do muro”, etc e etc. Imagina se escolher o “cinza”! Definitivamente poderá ser enviado a algum laboratório científico para estudos!
  • Se tiver atração por pessoas com cabelos pretos, jamais poderá apaixonar-se por loiros, orientais, ruivos ou negros…
  • Na política, ou se é esquerda ou direita! Se for do “centrão”, tá vendido para os dois lados. Mas,  e se de repente por uma questão de amadurecimento e até entendimento você mudar a sua análise e decidir que era esquerda e virou direita ou vice versa? Irá para o “paredão”! Eu particularmente não tenho lado. Eu analiso em primeiro plano a pessoa, suas ideias e depois o partido. Ser apartidária é crime?
  • Comida, ou se gosta de doce ou de salgado! Caraca, e eu que adoro misturar doce com salgado? Fico como? Como aquela “indecisa”?
  • Se gostar de viajar pelo Brasil, significa que não pode gostar de viajar para o “exterior”? E se for muito para o exterior é porque não gosta do Brasil?
  • Se gostar de praia, então deve  abandonar de vez montanha e/ou o campo!
  • Se quiser um dia tomar cerveja, no outro caipirinha ou vinho você com certeza têm problema de identidade?
  • Se gosta de verão, odeia inverno!

Claro que dei exemplos bem básicos e de fácil entendimento. Mas essa polarização vai muito além e em assuntos muito delicados e polêmicos.

Diante disso,  o ser humano nasce e morre sem mudar de opinião, gosto ou ideia. Ou se “ama ou se odeia”!

Nossa que preguiça disso! Cheguei à conclusão que devo ser “bipolar”, pois olhei para a minha vida até agora e percebi que mudei de opinião e visão em muitas coisas e em muitas situações.

Particularmente não acho que precisamos redigir documentos e lavrá-los em cartórios com o que gostamos e queremos. Acredito muito na flexibilidade. Ela pode ser uma grande aliada e não deixar sua vida engessada.

Lendo um artigo sobre Yin-Yang (símbolo do Taoísmo, uma das mais conhecidas filosofias dharmicas), retirei alguns trechos que achei interessante e que complementam a minha visão – (https://revistadeciframe.com/2009/07/23/simbolos-tao-ou-yin-yang/):

  • “…energias opostas que se complementam e são o fundamento da “totalidade”. A força intrínseca do Universo convertendo-se ora em uma, ora em outra. É o limiar entre os opostos, como se um estivesse contido no outro, em eterno movimento…”
  • “…Cada metade tem também um pequeno círculo da cor oposta, ou seja, a metade branca tem um círculo negro e a negra tem um círculo branco. O círculo menor representa a presença de cada um no outro”…
  • “…Os chineses acreditavam que todas as pessoas, homens ou mulheres, passam por fases yin e yang. A personalidade de cada um não é uma entidade estática, mas um fenômeno dinâmico resultante da interação entre elementos masculinos e femininos…”.

Que tal estar numa nova ”vibe”, mais leve e abrir à mente para entender o outro lado? Nem sempre tudo terá que ser oposição – ou isso ou aquilo. Deixe-se perceber que o “cinza” pode ser legal! Que o doce e salgado juntos podem fazer uma deliciosa combinação.

Não se trata de não se ter uma opinião formada, mas não precisamos ter uma “opinião formada sobre tudo”.

 

Por Pathy Bertão que adora ser E não ser, eis a questão!

 

 

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *