Meus 50 estão chegando…!

 Meus 50 estão batendo na minha porta! Eles estão chegando. Estão mais próximos do que nunca! Contagem regressiva!

Sabe, eu nunca liguei para idade, aliás, achava que não ligava até que um amigo muito querido me deu esse toque, pois sempre estou falando nela.

Parei para pensar, e sim, talvez eu ligue, mas de uma outra forma. Guardadas as devidas proporções e todas as minhas inseguranças, anseios, vontades que a pele continuasse lisa e esticada etc, etc. Tenho orgulho do que vejo no espelho hoje.

Continuo sorrindo e gosto desse sorriso. É a parte que mais gosto em mim fisicamente, seguido dos meus olhos. Esses são um bocadinho traiçoeiros e me denunciam escancaradamente. Mas eles são meus e gosto dessa profundidade. 

Minha preocupação com a idade está em outra esfera… o que se espera que eu mude fazendo 50 anos? Terei que mudar meu jeito de vestir? Abandonar shorts e minissaias? Sorrir mais comedidamente, vestir vestidos de “jersey”, dançar diferente…

Não, definitivamente a resposta é não! Vou continuar sendo o que sou! Tendo apenas o bom senso como companheiro, que é inerente a idade. Sou azeda, amarga, docinha, meiga, grosseira algumas vezes… Mas também sei ser muito companheira, divertida, palhaça e  me jogar de cabeça no que faço sem medo de me machucar. Se cair, levanto. As vezes demora. Aí entro lá naquele meu mundinho de conchas e exorcizo meus fantasmas e monstros.

 Ah como erro! Erro pra caraca…. Tanto quanto acerto. Chegando aos 50, errarei menos, acertarei mais? Não tenho a mínima ideia!  E sinceramente não estou preocupada com isso.

Talvez, confesso, tenha mais medo de não conseguir acompanhar com a mesma energia a adolescência de minhas filhas. Mas considerando que hoje sou elétrica e muito elétrica, se perder o “muito” ainda conseguirei estar “ali” no modo elétrica. Mas tenho medo sim.

 Mais rugas vão chegar, a preguiça de aguentar pessoas chatas vai aumentar, a seletividade também. Dizem que o passar dos anos nos fazem perder “filtros”, ou será que ganhamos mais originalidade e perdemos a vergonha de demostrar que não gostamos de algo? Só não podemos confundir isso com falta de educação e tomar conta do espaço! A regra da boa convivência continua. 

Estou com frio na barriga… Mas ai, pensei de novo. Vou dormir com 49 e acordar com 50, certo? Mas não será como metas que atingimos naquele dia 30 de cada mês e no dia 01 tudo acorda com novas metas e “zerados”… Isso acontece todos os dias de nossa vida. Sempre acordamos com uma página em branco para escrever “aquele dia”, mesmo que ele esteja programado com compromissos diversos.

Acho que a vida é uma delícia com todos os ônus e bônus que temos. Muitas vezes reclamo por coisas que acontecem ou deixam de acontecer, mas reclamar é do ser humano. O que difere em cada um é a intensidade e quantidade. Então, vou ficar espertíssima para não ser uma ranzinza de plantão.

Mudanças virão, talvez não por fazer 50 anos. Mas pelas evoluções e mudanças necessárias que passamos durante a vida! Quero mudar algumas coisas por mim mesmo e por vontade de fazer diferente. Duas principais estão no meu lugarzinho de super prioridades:

1)      Cobrar menos de mim e das pessoas a minha volta. Deixar a vida mais leve!

2)      Aprender a rir de mim mesma!

No mais, vamos caminhando e cantando e seguindo a canção!

Cinquentinha, se prepara que tô chegando! Feliz pelo que vivi até aqui e inspirada, motivada e pilhada para o que vem por ai!

 

Por Pathy Bertão… A seguir cenas dos próximos capítulos na série da minha life!

 

Vem...leia também

2 comments

  1. Que texto LIIIIINDOOOO, Pati!!!
    Que a idade nunca lhe tire esta intensidade, ainda que te traga, em contrapartida, mais serenidade.Beijo carinhoso desta sua amiga que, agora, também se tornou sua fã!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *