Outubro Rosa: Eliége Monteiro Miguel Cadorin, uma inspiração!

Estamos no outubro Rosa!

Uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente o câncer de colo do útero (https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Outubro_Rosa). Essa descrição é do wikipedia. Mas acredito que o Outubro Rosa transcende e mostra-se como um ato de amor próprio e tão necessário!

Convidamos a partilhar conosco Eliége Monteiro Miguel Cadorin, que passou pela descoberta e tratamento de um câncer e venceu!

Eliége é aquele tipo de pessoa que você se pergunta porque não conheceu antes. Mas a vida é sábia e sabe o que faz! Passou por momentos muito delicados e pesados e nunca a vi reclamar, cair em desespero, ou deixar-se abater! Foi forte, sem perder sua delicadeza e mostrou acima de tudo resiliência e muita fé.

Entregou sempre amor, luta, esperança e força!

Temos a grata satisfação e prazer de compartilhar o seu depoimento!!

Eliége Monteiro Miguel Cadorin, uma inspiração!

Meu Nome é Eliége Monteiro Miguel Cadorin, tenho 47 anos, sou casada, não tenho filhos.

Fui diagnosticada com câncer de mama em novembro de 2016.

No mesmo mês no dia 30, fiz a retirada total da mama esquerda, pois o câncer era bem na aréola, portanto, somente a retirada total da mama era o que se podia fazer.

Como fui atleta minha vida toda, sempre fiquei longe de bebidas, cigarros e drogas. Fazia o autoexame sempre e como boa atleta realizava mamografia e ultrassonografia todo ano. Minha mama era densa, de difícil entendimento. 

A notícia de um diagnóstico do câncer, é algo indescritível para qualquer mulher, mas o fato de eu ser atleta, sempre tive a certeza de estar protegida. Foi então que compreendi que está doença não escolhe pessoas por perfil. Ela simplesmente vem, cabe a você decidir de que forma irá encara-la. 

Foi aí que decidi encarar o câncer como uma prova de 100 metros rasos. Ele não teria a menor chance de me vencer. Então comecei a me preparar. Me alimentei de orações, bons amigos, família, sempre contando com a ajuda de meu grande amor Jackson, meu esposo. Eu tinha a certeza de que seria a prova mais importante da minha vida, e que jamais, poderia pensar em desistir, e quanto mais preparada eu estivesse, quanto mais leve minha alma estivesse, maior seriam minhas chances de cura.

Fiz 6 sessões de quimioterapia, e 25 sessões de radioterapia. Tive algumas intercorrências no meio do percurso, mas com muito esforço, muita fé, e com excelentes médicos ao meu lado, me incentivando para não desistir, me apoiando quando o cansaço já me dominava, e me mostrado o final da corrida, permaneci firme.

Eu me dediquei a cada tratamento, eu me esforcei a cada troca de medicamento, eu nunca reclamei, nem muito menos blasfemei contra Deus. Nem quando precisei interromper meus “treinamentos” para passar uns dias na UTI. Pelo contrário, foi a Ele que eu me uni para vencer está doença. 

Sempre que eu pude, eu escolhi sorrir e não chorar, eu optava por aceitar e não reclamar. 

Consegui com meu largo sorriso, ajudar muitas outras pessoas, com diversos tipos de doenças. Meu olhar mudou. Minha alma se renovou. Tudo ficou diferente. Me tornei uma pessoa melhor. Mais sensível, mais humana, mais Feliz.

Estou curada…venci a prova…

 

Queridas MULHERES e amigas que estão aqui, sempre conosco! Façam o auto exame! Converse com sua mãe, filha, irmã, amiga e colega de trabalho! Incentive!

Eliége, querida, agradecemos o seu depoimento e desejamos toda a felicidade do mundo a você!

Paz, saúde e muito amor!

 

Gratidão!

 

Cíntia, Mari, Pathy e Vane

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *