Quem manda nos seus sentimentos?

Sou a única responsável pelos meus sentimentos e você pelo seu! Pegou? Não?!

Te explico:

Nós seres humanos temos o hábito de dar donos a cada sentimento que surge. Acreditamos que o sentimento é reflexo do que o terceiro fez ou deixou de fazer.

Sofremos pela ligação não recibida. Emburramos pela resposta torta que recebemos. Vibramos pelo elogio que recebemos. Choramos pela não aprovação de um projeto.

Todas as sensações as linkamos com quem a gerou, isso sempre foi automático. Culpamos, brigamos, rimos, choramos, arrepiamos por causa de um dito cujo causador.

Pause! Acreditávamos e linkávamos. Já não vamos acreditar e nem linkar mais.

Como assim?

Sentimento, a gente quem cria. A cabeça tem dono. Quem manda nessa coisa toda somos nós e entender isso ajuda a sanar pelo menos parte das nossas neuras e xiliques.

Criamos as condições, agindo, aceitando, deixando de fazer, tolerando, estudando, vagabundeando, gastando, economizando, traindo, fidelizando, perdoando, comendo, julgando e por aí vai.

Cada uma destas condições geram consequências, sejam elas boas ou ruins.

Sobre consequências boas: Não precisamos nem citar, automaticamente nossa cabeça gera sentimentos bons. Eh coisa boa…

Sobre consequências ruins: Ficar se remoendo não ajuda, pelo contrário, só faz a gente ficar cada vez mais down. E se não podemos extinguir estes sentimentos podemos abreviá- los.

Por que não o fazer?

Me ferrei na prova… choro ou estudo mais?

Fulano foi grosso… entristeço ou me posiciono para que aquilo não se repita?

Não fui convidada para a festa… fico de bico ou busco ser uma amiga mais presente?

Exemplos simples, mas que podem ser levados como base para diversos outros. Olhando condições, consequências e escolhendo o sentimento que desejamos criar.

Por Cintia, que compartilha o que ajuda a sanar a parte simples, mas que não dispensaria terapia e acompanhamento profissional para sanar o resto. Porque no fundo, só quer ver quem gosta sorrir.

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *