Hora de desatar os nós!

Hora de desatar os nós! 

Parece clichê, mas essa época do ano nos inspira a fazer balanço de tudo, arrumar armários, gavetas, vida, escrever nossas metas e sonhos para o próximo ano! Nossos “baús” internos são revirados… Muita gente entra e sai de nosso convívio, uns por nossa opção, outros por opção da pessoa e outros pelo destino! Alguns não entendemos os motivos e mas à frente a vida nos apresenta! Hora de revisão! Hora sim, de desatar alguns nós! 

 Ás vezes esses “nós” são feitos em momentos necessários. Talvez em um desentendimento momentâneo, uma divergência de ideias ou até um estranhamento onde um “santo não está batendo com o santo do outro”. Mas como as energias circulam, as relações sofrem mudanças e nada é estático. Dessa forma, a  possibilidade de alteração é grande. O fator tempo nesses casos pode ser o mais preponderante. 

Tenho certeza que você aí e eu aqui possuimos nós que não querem desatar, não por agora. E de boa, problema “zero”. Cada um sabe onde o “calo aperta”. É importante ressaltar que desatar nós, exige de todos os envolvidos,  disponibilidade, discernimento, vontade e paciência. Nem sempre o outro lado compartilha da mesma disposição e disponibilidade. Ambos precisam estar na mesma página. Ajustes à frente! Prepare-se! 

O processo se faz com trocas e não de maneira solitária. Uma vez, minha grande amiga Anielle Travain, psicanalista,  me disse uma frase que nunca mais esqueci: “Quem pode mais, dá mais”. Então se nesse momento você pode “dar mais”, mãos a obra.  Não se trata apenas de coisas materiais, o afeto, o carinho, o se doar, a amizade, enfim, as relações não são fixadas no estilo 50% 50%!

Isso não significa que você tem que baixar a cabeça sempre e aceitar só o que outro quer, mesmo numa reconciliação de amizade ou amorosa. Alguns pontos têm que ser bem claros e transparentes, é uma construção a 4 mãos. É preciso saber ceder e quando ceder.

As pessoas passam por nossas vidas sempre com um intuito, seja de aprendizado ou aconchego ou para aprendermos que não fazem o menor sentido continuarem em nosso convívio.

Pense que ao invés de “nós” é infinitamente melhor criar laços com quem se ama e faz sentido em sua vida (em todas as formas e relações).

E aqueles “nós” que você ainda não se sente confortável para “desatar”, relaxe e espere. A hora certa vai chegar e se não chegar é porque não era para ser! Fique em paz com seu coração e confortável com suas decisões!

Tire, principalmente os “nós” da sua garganta, da alma e do coração!

Por Pathy que adora se relacionar, independentemente se vai chorar ou sorrir no final! Ama gente! Ama pessoas! Mas sabe que tem seus maus humores e suas necessidades… Que não é fácil… Mas responde, quem é?

 

 

 

 

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *