O que aprendo com meus livros!

Ler para mim, assim como para a maioria das pessoas, é uma experiência fantástica. Me transporto  para algum horizonte desconhecido, que eu construo lá no meu imaginário…e sabem o que é o melhor de tudo…as palavras são os guias para  conseguirmos  entrar nesse  mundo . Nossa, como a gente aprende,  como a gente se desafia, como a gente sonha! Gosto muito da frase de Willian Faulkner,  traduz muito do que acontece comigo quando leio:  “o que a leitura faz é o mesmo que acender um fósforo no campo no meio da noite. Um fósforo não ilumina quase nada, mas nos permite ver quanta escuridão existe ao redor” e vem daí a voracidade por querer ler sempre .

Hoje compartilho  5 dos meus livros,  que me ajudaram a entender o mundo, entender essa maravilhosa escuridão. Ah, divido também com vocês minhas frases preferidas de cada livro!

As Pontes de Madison

Autor: Robert James Waller

Os sonhos são bons por terem existido, independente de terem sido realizados.”

Li este livro há muitos anos atrás (ganhei do meu marido, que  me deu de presente de tanto que eu amava e amo essa história). Detalhe, eu primeiro assisti ao filme (umas tantas vezes), depois tive o prazer do deleite da leitura desse romance. Num primeiro momento somos levados a pensar que tratar-se de um romance em um caso de adultério entre Francesca e Robert (principais personagens do livro).  Mas esse fato fica como coadjuvante nesse romance.  Trata-se de um romance de sincronicidade e escolha. Sincronicidade porque uma paixão fenomenal nasce em 4 dias e é como se estivesse existido uma vida toda! Escolha, porque nem sempre é possível seguir adiante com os sonhos diante de um amor incondicional! Nem o tempo nem as escolhas dela fizeram o AMOR desaparecer, nem o de mãe nem o de mulher!

O que aprendi com esse livro:  Não era mãe na época, assisti ao filme e li o livro, mas entendi perfeitamente o que significa o amor incondicional de uma mãe, sem cobranças, sem ressentimentos, só o AMOR. Hoje releio o livro e entendo muito do que não entendia! Vocês acreditam que eu continuo a assistir o filme e a ler o livro com a mesma emoção?

Os catadores de Conchas

Autora: Rosamunde Pilche

Foi tudo muito bom, em cada sentido da palavra. E, nesta vida, nada que seja bom é realmente perdido. Fica fazendo parte de uma pessoa, torna-se parte de sua personalidade.”

Os Catadores de Conchas  conta a vida de Penelope: mulher parecida com milhares de outras mulheres.  filha de um pintor e de uma jovem  liberal e independente (essa mistura contribui muito por eu me apaixonar pela personagem) que tem uma vida comum . E é exatamente a sua vida tão comum e igual a de qualquer mulher que torna este romance tão atraente. Foi uma filha amada, foi infeliz por ter se casado com o homem errado, depois encontrou o  verdadeiro amor. E é por isso tudo e muito mais detalhes (afinal o romance tem 600 páginas) que sou apaixonada por Penelope, uma mulher linda,  intensa, firme, carinhosa e inteligente.

Eu aprendi com esse romance o significado da força feminina,  o poder do sentimento feminino, aprendi a ser mulher, apreendi o que é ser mulher. Aprendi também sobre o empoderamento feminino. Aprendi mais sobre o Reino Unido, jardins, música, o amor pela arte,  Cornualha, Londres e, acima de tudo, aprendi que a literatura sempre dá as resposta para o que a gente precisa. Além disso, ela se ajusta aos momentos que estamos vivendo e também aos nossos questionamentos. Sempre que estou vivendo um momento conturbado, esse livro é um verdadeiro tranquilizante.

Chapeuzinho Amarelo

Autor: Chico Buarque de Holanda

 Chapeuzinho Amarelo, de tanto pensar no lobo, de tanto sonhar com lobo, de tanto esperar o lobo, um dia topou com ele, que era assim:

carão de lobo, olhão de lobo, jeitão de lobo, e principalmente um bocão tão grande que era capaz, de comer duas avós, um caçador, rei, princesa, sete panelas de arroz e um chapéu de sobremesa ….

É um livro infantil, eu sei… Li muito com meu filho menor, não o que gosta de Jedai, o que gosta de futebol e tinha alguns medos. Esse livro é simplesmente fantástico. Conta a história de uma menina com medo do medo, uma menina amarela de medo, que descobre que só vencerá o medo, enfrentando o medo.

O que eu aprendi: a enfrentar medos. Pode? Depois de adulta, mãe, que já enfrentou vários medos, descobri na literatura infantil, a forma mais fácil de lidar com o medo, que é enfrentar o desconhecido. Vamos combinar, que nós adultos, quando não temos medo, inventamos um e paralisamos com ele. Gente eu amo tanto esse livro que sempre leio e me divirto muito…quero dizer que rio muito com a história. Claro, agora eu não tenho mais medos, ops só alguns, pequeninos.

O Poder do Hábito

Autor: Charles Duhigg

“Os hábitos, dizem os cientistas, surgem porque o cérebro está o tempo todo procurando maneiras de poupar esforço.”

Charles Duhigg

Uma grande amiga minha não parava de falar desse livro, e eu curiosa que sou, tratei de comprá-lo . É quase um livro de auto ajuda, mas vai além, o autor explica cientificamente como criar um hábito e a sua importância em 3 passos: 1) Deixa, 2) Rotina e 3) Recompensa! Ele diz que por meio do hábito é possível exercitar-se com regularidade, perder peso, educar os filhos, tornar-se mais produtivo, e até alcançar o sucesso. O livro  mostra que, ao dominar esta “ciência”, todos nos podemos transformar  nossas vidas.

O que aprendi com esse livro? Que funciona! Que a prática leva a perfeição, melhor, que o hábito leva a realização! Com a força do hábito, aprendi a correr. A correr… isso mesmo! 1) Deixa: queria melhorar minha qualidade de vida. 2) Rotina: treinar 3 x por semana. 3) Recompensa: sai do zero km e cheguei aos 15 km e meu colesterol baixou. Estava começando a sonhar com meia maratona e daí um problema na cervical me impediu. Quantas vezes acordei e não queria sair da cama…mas quanto via  o meu tênis, ao lado da cama, para me lembrar da rotina, do hábito…não tinha como ficar na cama.  Confesso que estou precisando revisitar esse livro para novos hábitos.

Serena

“Eu era a mais simples das leitoras. Só queria o meu mundo, comigo dentro, devolvido para mim de maneiras artísticas e de uma forma acessível”

Autor: Ian McEwan

Aqui estou eu,  mais uma vez com um romance, mais uma vez a personagem principal é uma mulher e mais uma vez na Inglaterra. Dessa vez um pouco menos romântica e um pouco mais missão secreta, guerra fria e meios de combater ideias comunistas. Serena, é uma sonhadora que adora livros, adora ler e literatura. Deixou seu sonho de lado, por influencia de sua mãe, para uma promissora carreira na área de matemática. Foi parar no serviço secreto da Inglaterra. Nunca deixou a paixão da literatura de lado e, a partir daí, tudo começa a fazer sentido na sua vida.

O que eu aprendi?…mais um “monte” de coisas da Inglaterra, da década de 70, do Ira, do Serviço Secreto Britânico…  aprendi que muitas vezes “as coisas não saiam da forma que queremos, a vida se encarrega de fazer por nós.  Leva um tempo, mas acontece! Desafiando nossas próprias desventuras! Outra coisa que aprendi, que a sensualidade envolvida em romances com um toque de erotismo, nas entrelinhas,  podem ser muitos excitantes.

Beijos e até semana que vem…com um pouquinho de mim para vocês!

Se gostou, compartilhe e conte para nós quais são os seus livros.

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *