Em completa ebulição!

                 Em completa ebulição! É exatamente assim que estou me sentindo hoje.

Acordei com vontade de chacoalhar a poeira e fazer as coisas andarem e circularem. Não gosto de mesmice apesar de gostar de rotina. Fácil de entender? Não. Nem eu entendo. Mas é assim, amo rotina, mas não a mesmice.

A mesmice me faz ficar curvada, com a pele “sem viço” e olhos caídos. A energia do corpo fica estagnada e você ao invés de andar, pareço me arrastar.

É nesse momento que se faz necessário mexer, mudar o que não está bom, aprimorar o que precisa e conservar o que está ótimo. Por que nem tudo precisa ser mexido. Ser cirúrgico é o ideal.

Amo essa ebulição interna que tenho com certa frequência. Me tira da zona de conforto, faz com que eu retire da garganta o que está engasgado e expurgue completamente da minha vida situações que não gosto e me fazem mal.

Sonhar, criar, imaginar…. Tudo isso faz parte dessa ebulição. Passo pelo mesmo processo da água que colocamos para ferver. A ebulição começa no fundo, quieta… Só se mostra quando está na temperatura correta! As “borbulhas” internas aparecem e assim fico pronta para “passar o café”. “Passo pelo pó” e o “aroma” com certeza fica mais agradável e convidativo.

Não faço para agradar ninguém, faço para me conquistar de novo e dar aquele up e bronca (muitas vezes necessária), para sair do lugar. Não preciso mostrar esses bastidores! Mas eles são fantásticos desordeiros do bem!

A criatividade é muito parceira quando isso acontece. E juro que não a deixo minguar. Incentivo que ela cresça na minha “mind” e que me faça buscar alternativas, muitas completamente fora da casinha, confesso. Mas, depois que lapidadas começam a fazer sentido. É só dar espaço para o meu brainstorm interno e fazer os ajustes necessários.

Já passou por isso? Tenho certeza que já. Sei que os medos são companheiros nesses períodos também.  Mas prefiro não os alimentar e dar asas a minha imaginação. Criar o mundo perfeito na Patricialândia e depois converter para nosso mundo real.

A mente é livre. Basta que eu saiba conduzi-la para o que é produtivo, positivo e não cair na armadilha da reclamação e vitimismo. Esses sim são vilões que quero e devo passar a quilômetros de distância. Isso pode leva a uma morte interna. E ninguém gosta da morte.

Então, eu procuro fazer de minhas ebulições lições para novos horizontes e novas conquistas. Sempre quero algo novo. Viver na mesmice faz esvair qualquer brilho nos olhos!

Você tem todo o direito de discordar de mim. Como já disse várias vezes, sou democrática (mais ou menos… kkk). Mas concorda que a sensação de “borboletas no estômago” é maravilhosa?

Então, dê um voto de confiança para suas ebulições e deixe ferver!!!!!

POR PATHY, A PATHY EM EBULIÇÃO…

 

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *