Quer conversar?

Problemas no trabalho, filhos crescendo, rotina estressante, marido/esposa irritante, meia idade e nada tolerante… ferveu o leite da panela da vida. E agora, com quem conversar?

Com a mãe… preocupa! Porque mãe preocupa.

Com o parceiro… dependendo do assunto…

Com o colega de trabalho… Melhor não.

Com a amiga… falar 100%, será?

Amigas para tomar café, amigas para beber até cair, amigas para encontrar às vezes, amigas de infância, amigas família, amigas de porta da escola, amigas vizinhas, amigas da academia… um bando de amigas!

E no meio deste bando, alguém para conversar neuras e gritar felicidade sem julgamento? Alguém com quem possa ser você na sua mais completa forma?

Cri cri cri cri… momento de silêncio!

Segundo meu último levantamento, tenho com quem conversar 70% de minhas neuras e alegrias. Este número já foi maior, mas com as crises de idade vejo que ele vem diminuindo. Coisas de crise! Os outros 30%? Estes pensava serem meus, acreditava ter o direito de ter meus mistérios, hoje já acho que este número me atrapalha, entalam na garganta e me travam.

Assim chego aos pontos que mais me encantam no VQGE – que para mim é praticamente um grande amigo virtual. Considerando a minha não ida a nenhum psicólogo até então, para resolver tudo isso profissionalmente:

– Ler as neuras de minhas amigas me fazem entender que a crise não é só minha, o que ajuda a clarear as idéias.

– Em cada post acabo sempre aprendendo algo.

– Os comentários sejam eles abertos ou no direct mostram que não estamos sozinhas e plantamos sementinhas boas a cada post. O que faz o nível de realização sempre aumentar.

– Escancarar sentimentos faz bem, mesmo que seja no teclado ou na caneta.

E na via de mão dupla da vida, vale o lembrete:

Se entrego, também tenho que saber receber! A base da amizade é a confiança, e esta é moeda de troca. Escuto seus porcentos, você escuta os meus e guardamos a parte que cabe apenas ao diário e aos consultórios.

Por Cintia Almeida, que busca sempre suprir seus 30% e que é 100% de quem precisar, é só ligar ou mandar mensagem!

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *