Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /var/www/html/vanessatcm.blog-dominiotemporario.com.br/web/wp-content/plugins/social-share-buttons-by-supsystic/vendor/Rsc/Menu/Page.php on line 228
POR QUE JULGAR? - Vem que a gente explica!

POR QUE JULGAR?


    Atire a primeira pedra quem nunca! Mesmo que seja de forma impensada e sem querer julgar, julgamos. De forma silenciosa e solitária ou gritando aos quatro ventos. Alguns  fazem questão de externalizar. Já outros, guardam para si. O fato é que o julgamento existe. Mas… por que julgar?
O que nos faz pensar que temos esse direito? Em algumas situações, desenhamos um  conceito, criamos um cenário e  emitimos opiniões sem serem, inclusive, solicitadas. Simplesmente invadimos!
    Julgar é uma palavra  pesada e tem “tom” de censura e recriminação. São tantos os exemplos de julgamento! Preferências, pensamentos e ideologias, ações, amores e disabores. Gestos e emoções! Racionalidade! Até o cotidiano entra! A lista é imensa!
O que importa é que olhamos os outros através de nosso prisma e nossas verdades. Tomamos como certo o que vivenciamos e essa informãção é  quase que absoluta,.

     Analise!  Podemos subir ao cume de uma montanha e estarmos acompanhados de outra pessoa. Chegando lá em cima, ambos teremos visões diferentes mesmo estando na mesma altura, na mesma montanha,  mas o que difere é que não estamos exatamente no mesmo lugar.

      Existe uma expressão que diz: “Não sei se caso ou compro uma bicicleta”. Ou seja, a pessoa que escolhe tomar a decisão tem o ônus e o bônus. Então, por que julgar?
    Vale lembrar  que somos seres humanos e erramos e acertamos o tempo todo! Então julgar é um ato que fica mais aderente aos juízes em seus tribunais e que terão elementos para julgar uma pessoa, uma situação!

     Informação de utilidade pública e que fará muito bem a você e a quem convive com você de perto ou de longe! Definitivamente, deixe sua toga e malhete em casa!

    Não julgue a dor que você não está sentindo! Não julgue a gargalhada que você ouve e nem a falta de sorriso que você pode estar vendo!

SEJA FELIZ!

    Beijo, Pathy!

Vem...leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *